• iniciativanegrasp@iniciativanegra.com.br

Evento reúne ativistas, pesquisadores, três convidados internacionais dos EUA, movimentos sociais anti-racistas e anti-proibicionistas. O objetivo é discutir o tema da política de drogas e do racismo em meio aos 130 anos da abolição da escravatura, marco a ser atingido em 13 de maio de 2018

Realizada por três organizações diferentes, o texto apresenta um balanço da abordagem jornalística do portal em relação às tragédias ocorridas em Manaus (AM), Boa Vista (RR), e Natal (RN) no início do ano, que foi descrito pelo jornal como o “Massacre em Presídios”.

O Geledés Instituto da Mulher Negra inicia uma parceria com a Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas para produzir e divulgar conteúdo acerca da atual política de drogas adotada no Brasil. A proposta de ambas plataformas é a de problematizar o conceito de “guerra às drogas” e questionar essa temática a partir da perspectiva de raça, gênero, classe e dos direitos humanos.

Entre os dias 26 e 29 de Junho, o evento As múltiplas faces da política de drogas em SP, organizado pela INNPD - Iniciativa Negra por Uma Nova Política sobre Drogas, ITTC - Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, Plataforma Brasileira de Política de Drogas, Centro de Convivência É de Lei, Fórum Intersetorial de Direitos Humanos, ocorreu em diversos lugares da região central da cidade de São Paulo, entre eles a Aparelha Luzia, localizado na Rua Apa 78.

Entre os dias 26 e 29 de Junho, o evento As múltiplas faces da política de drogas em SP, organizado pela INNPD - Iniciativa Negra por Uma Nova Política sobre Drogas, ITTC - Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, Plataforma Brasileira de Política de Drogas, Centro de Convivência É de Lei, Fórum Intersetorial de Direitos Humanos, ocorreu em diversos lugares da região central da cidade de São Paulo, entre eles a Aparelha Luzia, localizado na Rua Apa 78.

Entre os dias 26 e 29 de Junho, o evento As múltiplas faces da política de drogas em SP, organizado pela INNPD - Iniciativa Negra por Uma Nova Política sobre Drogas, ITTC - Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, Plataforma Brasileira de Política de Drogas, Centro de Convivência É de Lei, Fórum Intersetorial de Direitos Humanos, ocorreu em diversos lugares da região central da cidade de São Paulo, entre eles a Aparelha Luzia, localizado na Rua Apa 78.

Entre os dias 26 e 29 de Junho, o evento As múltiplas faces da política de drogas em SP, organizado pela INNPD - Iniciativa Negra por Uma Nova Política sobre Drogas, ITTC - Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, Plataforma Brasileira de Política de Drogas, Centro de Convivência É de Lei, Fórum Intersetorial de Direitos Humanos, ocorreu em diversos lugares da região central da cidade de São Paulo, entre eles a Aparelha Luzia, localizado na Rua Apa 78.

O Geledés Instituto da Mulher Negra inicia uma parceria com a Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas para produzir e divulgar conteúdo acerca da atual política de drogas adotada no Brasil. A proposta de ambas plataformas é a de problematizar o conceito de “guerra às drogas” e questionar essa temática a partir da perspectiva de raça, gênero, classe e dos direitos humanos.

O Geledés  Instituto da Mulher Negra tem uma parceria com a Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas (INNPD). Ambas plataformas debatem o tema de política de drogas a partir de uma perspectiva dos direitos humanos, de raça, classe e gênero.

O Geledés  Instituto da Mulher Negra tem uma parceria com a Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas (INNPD). Ambas plataformas debatem o tema de política de drogas a partir de uma perspectiva dos direitos humanos, de raça, classe e gênero.

1° Seminário Internacional Juventudes e Vulnerabilidades: Homicídios, Encarceramento e Preconceitos

A Iniciativa Negra Por Uma Nova Política Sobre Drogas é uma experiência coletiva em desenvolvimento, que identifica na retórica da guerra às drogas a principal justificativa política contemporânea para a manutenção de práticas sofisticada de perpetuação de opressão racial sob a população negra.

Entendemos que a chamada “ Guerra às drogas”  tem como resultados práticos a criminalização de todas as relações instituídas nos territórios pobres; o reforço de estigmas associados a população negra; e principalmente, configura uma autorização social de violação de direitos sobre os corpos negros.

A população negra é a mais afetada pela atual política de drogas, em todas as condutas. Os negros estão super representados na população em situação de rua em uso problemático de crack; estão super representados entre a população carcerária e ainda, no dado mais letal, é a cor da população que mais sofre “ homicídios”.

Surgimos para estimular novas narrativas e produzir sínteses da comunidade negra sobre essa temática, pois a colocação de nosso discurso sobre o tema transcende a localização de objeto de estudo e permite o protagonismo do outro lado da história. Ainda que o debate sobre drogas traga a superfície muitas feridas coletivas que tem como ponto incomum o atravessamento da guerra às drogas, compreendemos ser de grande potência a reunião sistematizada dessas reflexões em espaços plurais de encontro da comunidade negra.

Rosane Borges é jornalista e pós-doutoranda da Universidade de São Paulo (USP). Ela é colunista da Carta Capital e da Boitempo, integrante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (COJIRA-SP) e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política sobre Drogas.

Fronteiras raciais do cárcere

É com esta abordagem que a Iniciativa Negra tratará a crise no sistema prisional em uma cobertura especial.

Juarez Xavier, professor de jornalismo da UNESP, campus Bauru, e Coordenador do Núcleo Negro de Pesquisa e Extensão da UNESP (NUPE), afirma que a cobertura da grande mídia sobre a crise do sistema carcerário foi superficial, conservadora, e preconceituosa. Para ele, a mídia fortalece para o genocídio de negras e negros.